A Bacia

A Bacia Hidrográfica do Rio Piranga insere-­se totalmente no Estado de Minas Gerais, em uma área de 17.571 quilômetros quadrados, estando sua maior parte nas regiões da Zona da Mata e Campos das Vertentes. É composta pelos rios Piranga, do Carmo, Casca e Matipó e por áreas de drenagem de outros córregos menores, como os rios do Peixe, Sem Peixe e Sacramento e ribeirões Mombaça, do Turvo e do Belém. O Rio Piranga nasce no município de Ressaquinha e percorre 470 quilômetros. Seus principais afluentes são os rios São Bernardo, Xopotó, Turvo Limpo e Oratórios.

Trata­se da bacia da macrobacia do Rio Doce com maior número de municípios, abrangendo total ou parcialmente, 77 cidades: Abre Campo, Acaiaca, Alto Rio Doce Alvinópolis, Amparo do Serra, Araponga, Barra Longa, Bom Jesus do Galho, Brás Pires, Cajuri, Canaã, Capela Nova, Caputira, Caranaíba, Carandaí, Caratinga, Catas Altas da Noruega, Cipotânea, Coimbra, Conselheiro Lafaiete, Córrego Novo, Cristiano Otoni, Desterro do Melo, Diogo de Vasconcelos, Dionísio, Divinésia, Dom Silvério, Dores do Turvo, Entre Folhas, Ervália, Guaraciaba, Itaverava, Jaguaraçu, Jequeri, Lamim, Manhuaçu, Mariana, Marliéria, Matipó, Mercês, Oratórios, Ouro Branco, Ouro Preto, Paula Cândido, Pedra Bonita, Pedra do Anta, Piedade de Ponte Nova, Pingo D’Água, Piranga, Ponte Nova, Porto Firme, Presidente Bernardes, Raul Soares, Ressaquinha, Rio Casca, Rio Doce, Rio Espera, Santa Cruz do Escalvado, Santa Margarida, Santana dos Montes, Santo Antônio do Grama, São Domingos do Prata, São Geraldo, São José do Goiabal, São Miguel do Anta, São Pedro dos Ferros, Sem­Peixe, Senador Firmino, Senhora de Oliveira, Senhora dos Remédios, Sericita, Teixeiras, Timóteo, Ubá, Urucânia e Vermelho Novo.

Segundo dados do Plano de Ação de Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Piranga (PARH/ 2006), a população total da bacia é de cerca de 700 mil pessoas. Na economia, há predominância do setor de serviços, seguido da indústria e agropecuária. A pecuária ocupa 53% da área da unidade, com destaque para a criação de suínos, atividade que demanda ações de controle e tratamento de dejetos.  Já a agricultura ocupa 41 %.  A região da bacia apresenta forte suscetibilidade à erosão em 53% de suas terras, situação que, aliada ao mau uso e desmatamento, leva a elevada produção de sedimentos.